segunda-feira, 14 de maio de 2007

não sei nem por onde ir, mas vou caminhando por aí!
trombando.
fuçando.
parafraseando a vida.
oh dor no peito,
comprimido por meus pensamentos!

mas que vida é esta?

ai que vontade de gritar!
UAHHHHHHHHHHHHHAAAAHAHAHAHAHAAAAAAAAAAAAAA
AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHAHAHAHAHAA
AHHHHHHHHHHHAAAAAAAAAAHAHAHAHAHAHAAAAAAAAAA!

suspiros...alívios

ah peito, ah corpo reprimido!
por favor, me olhe nos olhos.

encarne na carne o que tu és
e faça-o nos meus olhos.

2 comentários:

Leandro Hoehne disse...

Dor no peito,
Tenha o respeito
De encarar por inteiro
O que me causa ao partir
Em direito e esquerdo
O meu coração.
Em certo e errado essa noção
Do que está entalado
E não pode sair,
Um grito berrado dizendo que o avesso é o correto do acaso
E ao caso de reconsiderar
Esse verbo doer, doa
Gostoso
Num banho cheiroso
Um momento pra ter quem eu quiser
de presente.
Me represente completo, dor,
Sem moral nem teto: limite
Da casa
Do corpo.
Incoberto desejo,
Doa a quem doer.
Virá o que vai ser.
O meu inconsciente
Revelo.

Ângela Garcia e Garcia disse...

"Mas que vida é esta?"

Louca, louca... às vezes dá vontade mesmo de correr... gritar... aaahhhh... viver dói, e às vezes muito...

Não tenho muito o que escrever... Deixo aqui meu silêncio em busca de respostas e tranquilidade em meio esse turbilhão de pensamentos.