domingo, 27 de maio de 2007

Janela da alma


Esta é uma das minhas janelas.
tenho várias e todas belas.
Belas pois permitem adentrar
o mundo neste oco vão de corpo
mudo.
Delas saem mundos, palavras, cenas,
olhares. todos delirantes. todos saudosos.
Alguns tristes e melancólicos.
Mas é isto, o mundo são isto.tudo que entra sai.
diferente, transformado, significado.

2 comentários:

Ângela Garcia e Garcia disse...

Uma das janelas... uma das mais lindas... que muitas vezes pode denunciar o que se sente... por isso o medo de olhar e deixar ser olhado através dela!

Leandro Hoehne disse...

A janela da alma é a janela de um corpo. O que o corpo nos diz a janela escancara, não escancara? E as vezes a luz cega e a gente nega essa presença do mundo, que "são isto", e é tudo que queremos dizer pro mundo. E não diz? Dizemos mudo. Pra esse globo surdo de não querer ouvir, o melhor são as palavras mudas, os gestos, os olhares. A tagarelice dos cilhos, o bradar dos membros e o uivar da poesia. A janela é a cheia de flores, que fechamos quando chove e abrimos para aguar em lágrimas expelidas. Ecancara a vida? Escancara por essa via o rebuliço do corpo, a ebulição ou a apatia do que vem... e vem sem nem pedir arrego, abre as pálpebras e num arregalo cospe a pura magia do ser. Te leio o olho, como lêem as mãos os ciganos.